19 de março de 2015

Painel Educativo - Cantinho da disciplina.

Nada como ser mãe para rever seus conceitos.
Eu era a favor da palmada, eu dizia que meu filho não ia me desobedecer, que ia comer sem neuras porque é criança...#todasriem

Na prática é bem diferente, você descobre que palmada não educa e que na verdade você apenas perdeu a paciência e descontou numa criança e a culpa te consome e deixa mágoas. Percebe que toda criança faz birra, desobedece e que danoninho é veneno puro.

A parte da alimentação é a mais fácil, porque você estabelece um cardápio saudável (estamos com orientação de nossa nutricionista, em outro post quero falar disso) e com alguma insistência e dando o exemplo a criança vai entrando no ritmo.

Agora...educar positivamente, sem agressões físicas e verbais, requer um pouco mais de esforço. Aqui em casa estamos adotando dois métodos: painel da educativo e cantinho da disciplina.


O painel educativo contém as tarefas que a criança deve realizar. Se as faz sem reclamar e sem chorar recebe o incentivo de um rostinho feliz, caso contrário, um rostinho triste. Muitos rostinhos felizes significam uma recompensa, algo que ele goste como jogar video game. E rostinhos tristes significam cantinho da disciplina, ou seja castigo.

Para o castigo, há um terceiro quarto em minha casa onde geralmente hospedo meus pais que moram em outra cidade ou familiares e amigos que venham passar a noite. Escolhi esse local para deixá-lo isolado por uns minutos (3 para ser exata, respeitando a regra de 1 minuto por idade) por ser um ambiente sem atrativos como brinquedos e tv, e por não ter nenhum perigo ou objetos preocupantes.

Meu filho depois que começou a aula se tornou muito respondão, começou a querer nos enfrentar. Achei que com o gênio forte dele esses métodos educativos não funcionariam. Mas conversamos e dissemos que trocaríamos os gritos e palmadas pelo quadrinho de tarefas. Assim foi. Ele se animou, adorou...fica muito empolgado em realizar suas obrigações para ele mesmo poder colocar um rostinho feliz. 

Mesmo assim ainda hoje fez uma manha para ir a escola, na volta vai colocar uma carinha triste mas o importante é que estamos resolvendo a situação na conversa e explicando, assim ele vai compreendendo aos poucos. E eu estou mais em paz, somos agora melhores pais certamente e assumimos o controle da situação.
Como dizem, ter filho é fácil...criar é que são elas!
Photobucket

16 de março de 2015

Vício em séries: minhas favoritas.

Me inspirei a falar sobre as minhas séries numa conversa pelo Facebook ontem com amigas.
Sou daquelas que quando gosta de uma série assisto uma temporada em 5 dias, cada brecha é um episódio novo...rs
A primeira série que eu acompanhei na vida foi há 15 anos atrás, quando ainda não era modinha: Friends. Hj eu DETESTO, acho muito chato....nem parece que foi minha série do coração. A gente muda né?
Hoje eu assisto muito Netflix. Como não amar né gente? O problema que a maioria das séries tem poucas temporadas e depois você tem que sair a procura dos novos episódios na internet, mas tem séries maravilhosas e completas, bem como minhas queridinhas novelas mexicanas. Sim, eu amo novela mexicana com TODO MI AMOR....rs Aproveito e indico La Tempestad, com Ximena Navarrete e William Levy, disponível na Netflix. Porém a minha preferida, não tem mais lá, que é Trinfo do Amor mas vale a pena procurar para baixar, lindíssima.
Voltando às séries. Recomendo por categorias:
.
.
Drama: Desperate Housewives


Razão de minha inspiração de hoje, nunca mais consegui achar uma série em que me identificasse tanto. Maravilhosa. Viciante. A penúltima temporada deu uma desanimada mas logo voltou aos trilhos. Chorei horrores e o final é lindo. Nada pior que final escroto né?
  • Onde assistir: Eu vi pelo Netflix (tem todas as temporadas)
  • Sinopse: Cansada da mesmice do seu dia-a-dia, Mary Alice decide tomar uma atitude radical e colocar um ponto final em sua rotina. Assim começa a série 'Desperate Housewives', com o suicídio da narradora, e a surpresa que sua atitude provoca nas amigas mais íntimas, as vizinhas do bairro chique, Wisteria Lane.
A partir de agora, de seu único e exclusivo ponto de vista, inusitado e indiscreto, Mary Alice vê mais coisas do que quando estava viva, e compartilha com os telespectadores todos os segredos escondidos atrás das portas de cada uma das casas desse aparente subúrbio perfeito.
Especialmente os segredos de suas melhores amigas: Susan Mayer, uma ilustradora de livros infantis, divorciada, que cria a filha sozinha; Lynett Scavo, que trocou uma carreira de sucesso na publicidade para cuidar da família; Bree Van De Kamp uma perfeccionista doentia, que está prestes a ter sua família contra si; e, por fim, Gabrielle Solis, uma ex-modelo sedutora que sempre consegue o que quer. Além das amigas, Mary Alice também observa a vizinha gostosona, Edie Britt, que desperta a curiosidade de todos por estar sempre desfilando com um namorado novo.
No fundo, esta comédia mostra que de perto ninguém é normal, e faz isso com toques de humor negro e algumas pitadas de drama.



Suspense: The Returned

O que dizer dessa série que só assisti dois episódios e já considero pacas? rs.. 
Do mesmo produtor de Bates Motel(nunca vi mas tenho vontade demais...faltou coragem...#medomodeon), The Returned é um suspense leve, bem tranquilo, pelo menos por enquanto. Pesquisei na internet e parece ser baseada numa série francesa chamada Les Revenants, e se for fiel, tratam-se de zumbis que conseguem controlar os efeitos da "metamorfose" e vivem normalmente, desde que tomem um antídoto a cada 36 hrs. Senão vira tipo um The Walking Dead zoado...mas essa nova série está sendo produzida pela Netflix e inspirada nessa que citei, então, não afirmo que será assim exatamente, até agora foram apresentados alguns dos personagens e tudo tem muito mistério ainda. Sonhei com essa série hj por falar nisso. Já entrou pro hall das minhas favoritas! E olha que eu não gosto de sentir medo...
  • Onde assistir: Assista a um episódio novo a cada semana no Netflix.
  • Sinopse:  Nesta série de suspense, pessoas mortas retornam inexplicavelmente à cida e à sua cidade natal, onde tentam se reintegrar à sociedade.


Heróis: Arrow

Estou numa vibe Marvel e afins. O arqueiro verde faz muito meu gênero, adoro uma história de ficção, de fantasia. Dessa série surgiu o espetacular The Flash, tão boa quanto. Inclusive rolou um crossover, que é quando as séries se encontram, com dois episódios de duração muito legais! Muito interessante, fiel aos quadrinhos, atores ótimos que quem curte séries já identifica de onde cada um surgiu. Muito legal, recomendadíssima. Conheçam Oliver Queen!
  • Onde assistir: Netflix tem as primeiras temporadas, depois vc pode assistir on line.
  • Sinopse:  Inspirada nos quadrinhos do Arqueiro Verde, esta série acompanha as aventuras do playboy que se torna super-herói e luta contra vilões armado apenas com arco e flechas.

Para não ficar muito extenso o post, deixo mais sugestões para a próxima. São muitas séries pra comentar num único dia...rs
Boa semana a todos ;*
Photobucket

9 de março de 2015

Assumindo meus cachos.

Sabe quando você faz as coisas inconscientemente?
A gente cresce brincando de Barbie, num mundo onde bonito é ser loira, cabelo liso e olho azul.
Quem não nasce assim pode ficar! Tem tinta, alisamento, progressiva, lente de contato e pronto, você está "aceitavel", dentro do "padrão".
Mas a gente tem que ter capacidade de analisar se realmente acha bonito ser como a maioria. E eu acho sim muito lindo cabelo loiro, liso...tanto que assim que fiz 13 anos corri descolorir. E em 1993 minha amiga, não tinha pigmento roxo, não tinha produto que clareia mais de 7 tons, progressiva para passar depois para hidratar ... o sistema era bruto, a gente descoloria - no meu caso que tenho cabelo castanho escuro quase preto - até sair o coro da cabeça quase. Dai passava tinta para amenizar aquele amarelo horrendo que o descolorante deixava. E tinha que hidratar muitoooooo....era muito muito caro ser loira. Em "casa" como hj não rolava, era escrava de salão. (Pobres pais que me bancavam o.O)
De lá para cá já pintei meu cabelo de todas as cores possíveis, tinha uma professora de matemática minha que dizia que não sabia como meu cabelo aguentava e eu ainda não tinha ficado careca...E quando inventaram a progressiva? Senhor, não sosseguei enquanto não fiz. Matei a vontade de ter aquele cabelo escorridasso e bem hidratado, ô beleza. Até o terceiro mês quando a progressiva saía e deixava para trás o estrago nas pontas que só uma nova progressiva restaurava. Passei por isso um ano. 
Fiquei sem química no cabelo mais de um ano, cortei chanel. Cabelo cresceu e nas pontas ainda tinha aquele ressecado de química que só ajeitava quando fazia escova. Dai encheu o saco, sério. Cansei foi de nadar contra a maré, me olhei no espelho e eu mesma meti a tesoura em tudo que era ponta ruim. Que venham os cachos! Todo esse tempo e investimento em recuparar o cabelo pós químicas eu troquei por lavar o cabelo e deixar secar naturalmente, bonito, brilhoso e bem hidratado.
Quando me olhei no espelho esses dias tive vontade de voltar no tempo e dar um pedala em mim. Nunca tive o cabelo tão bonito! Parece que fiz um babyliss...não tá ruim não acordar toda trabalhada no cacho natural viu
...rs
Agora só pintar de vez em quando os brancos pq né....brancos aos 35 é normal mais ninguém mereceeeeee. Emponderem-se mulheres, cabelo bonito é cabelo bem tratato. Não importa se é preto, loiro, azul, roxo, liso, enrolado...meu conselho é esse: liberte-se!
Photobucket
 

A N D R E A ❀ M U S S O Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang